8 motivos para acreditar que ápice do coronavírus já passou em diversos países

A relação inclui principalmente a redução no número de mortes e pessoas infectadas no Brasil e em países da Europa e na Califórnia nos últimos dias, o que já representa algo positivo em meio aos efeitos negativos do novo coronavírus no mundo


 

Na Espanha a semana começou com as pequenas empresas abertas

Diante da enxurrada de notícias negativas sobre os efeitos negativos e letais do novo coronavírus em todo o mundo, diariamente são também divulgados dados que podem dá uma ponta de esperança na superação da Covid-19.

No Brasil, por exemplo, em três dias os números de mortes registraram queda, no Maranhão estado que já contabiliza mais de 4500 infectados o índice de letalidade apresentou queda e em países da Europa como Espanha e Itália aos poucos a rotina dos moradores e de pequenos negócios está voltando ao normal, com medidas graduais de flexibilização do isolamento.

Para que tenha motivos em que acreditar, selecionamos oito notícias que podem dar sinais de quem o pior do ápice do novo coronavírus já tenha passado. Porém, mesmo com dados positivos é preciso seguir com cautela e com medidas de distanciamento social.

Notícia boa que começa no Brasil, com queda no número de mortes

No Brasil apesar da quantidade de pessoas infectadas pelo novo coronavírus que ultrapassou os 105 mil casos confirmados, na segunda-feira e o total de mortes chegou a 7.288, com aumentos de 4.075 infecções e 263 óbitos nas últimas 24 horas, os dados ainda representam algo positivo no meio de tantos dados negativos. Isso porque o número desta segunda-feira representa a quarta queda consecutiva na contabilização diária de novos casos, após o recorde de 7.218 registrado em 30 de abril. Foram três quedas seguidas no feriado de 1º de Maio e no último fim de semana. O número diário de mortes desta segunda-feira, 263, também representa uma queda ante a véspera, quando foram registrados 275 óbitos.

Em relação à recuperação de pacientes acometidos pela Covid-19, o Brasil soma 42.991 curados e 51.131 em recuperação.

Mesmo com os números altos relacionados a infecção houve queda na quantia de mortos diários

Maranhão segue registrando queda na taxa de letalidade da Covid-19

A taxa de letalidade do novo coronavírus no Maranhão diminuiu no início do mês de maio, é o que mostra o gráfico divulgado no boletim diário da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Dia primeiro de maio o índice chegou a 5,89%, foi a porcentagem mais baixa registrada desde o início do mês passado. Na mesma data o estado contabilizou mais 20 mortes pela doença, no sábado foram 13 e domingo outros 12 óbitos que se somaram ao total de 249.

O Maranhão também começa a semana com 1115 pessoas recuperadas do coronavírus no estado, que representa uma porcentagem de 24%, diante do total de 4530 confirmados.

Espanha registra queda na taxa contágio, notícia boa que começa a relaxar gradualmente o confinamento

Na última semana a Espanha registrou a menor taxa de contágio por coronavírus desde a declaração do estado de isolamento e os números seguem caindo diariamente nos últimos dias. Dados oficiais do Ministério da Saúde divulgados na segunda-feira (4) mostraram que houve 164 mortes relacionadas ao coronavírus, de acordo com a tendência de queda das últimas semanas.

Os hospitais também estão tendo reflexo dessa redução, com uma queda no número de internações diárias que foi para 394 ontem, abaixo dos 547 relatados no domingo.

Desde o início da crise, houve um total de 218.011 infecções na Espanha confirmadas por testes de PCR, enquanto 121.343 pacientes se recuperaram.

Pela primeira vez desde que o estado de alarme foi declarado em 14 de março, três regiões espanholas Valência, Múrcia e Ilhas Baleares, não registraram mortes pelo novo coronavírus. Várias regiões, assim como as cidades de Melilla e Ceuta, no norte da África, também não relataram internações em leitos de UTI entre domingo e segunda-feira.

Nas últimas duas semanas, a taxa de contágio em seis regiões, além de Melilla e Ceuta, caiu para menos de 28 casos por 100.000 habitantes.

No sábado (2), os adultos na Espanha foram autorizados a sair fazer passeios ou exercícios em horários pré-definidos, as crianças também tem hora para brincar na rua, essas ações fazem parte da desescalação das medidas de confinamento.

A semana também começou com as pequenas empresas abertas como parte do relaxamento gradual das medidas de confinamento. Agora, pequenas empresas, como livrarias, lojas de ferragens e oficinas de automóveis, podem aceitar clientes que marcam uma consulta ou visita e horários especiais para idosos.

Itália consegue achatar curva de infecções da Covid e indústrias voltam a abrir

A Itália, o país mais afetado pelo novo coronavírus na Europa, chegou à fase dois de flexibilização do confinamento. Depois de mais de 50 dias de emergência máxima, reduziram a mortalidade para menos de 200 casos por dia e achataram a curva de contágio. Cerca de 4,4 milhões de pessoas retornaram ao trabalho nesta semana, reabrindo a indústria e os setores têxtil, da construção e atacadista. Bares e restaurantes agora podem servir os clientes desde que seja só para entrega de pedidos para levar para casa, “take way”. Estes estabelecimentos poderão abrir ao público e servir mesas a partir de 1º de junho, e somente com medidas excepcionais de segurança sanitária.

O chefe da Defesa Civil italiana, Domenico Arcuri, pediu para que os italianos continuem a adotar medidas de proteção. “Temos que ter consciência de que será o início de um desafio ainda maior”, advertiu Arcuri. Ele ressaltou que a “liberdade relativa” que os italianos terão a partir de agora pode ser frustrada, em caso de um aumento de infecções.

França tem registrado queda no número de mortes pelo novo coronavírus

Na França onde especialistas identificaram que o coronavírus poderia estar circulando desde dezembro, registou no domingo (3), mais 135 mortes em decorrência da infecção, o que eleva o total no país para pouco mais de 24.895 e indica tendência de redução na curva, segundo informou o Ministério da Saúde do país. Em um comunicado, o órgão informou que o número de pessoas em unidades de terapia intensiva também está caindo e passou de 3.819 para 3.696 no domingo, pelo 26º dia consecutivo. O número de pessoas no hospital infectadas com coronavírus também caiu novamente de 258.815 para 25.548, continuando também uma queda ininterrupta por quase três semanas.

Houve também menor circulação do vírus em duas regiões do país, Gers Loire Atlantique e Mayenne, o que permitirá mudança nas medidas de relaxamento, que começará no próximo dia 11 de maio. Praticamente, toda a costa atlântica francesa, assim como o Sul, está indicada como verde, considerado um nível leve em três categorias. Enquanto isso, a região de Paris, além do Norte e do Nordeste, segue em vermelho.

Reino Unido registrou 315 novas mortes diárias o número mais baixo desde março

O Reino Unido registrou no último domingo 375 mortes a mais em decorrência do novo coronavírus, a quantidade foi mais baixa registrada desde o fim de março nos países que formam essa região. Com isso, o total de óbitos subiu para pouco mais de 28.466, segundo informou o ministro do Gabinete, Michael Gove, que concedeu entrevista coletiva para apresentar a atualização de dados.

Durante essa semana será divulgado um roteiro com detalhes do plano para começar a relaxar as medidas de confinamento impostas para evitar a propagação do novo coronavírus entre a população.  Já se sabe que as escolas primárias devem reabrir a partir de 1º de junho, como parte do plano para gradualmente “desbloquear” a Grã-Bretanha.

China tem registros mínimos de novos casos nos últimos dias

Autoridades de saúde chinesas afirmam que existem menos de 500 casos ativos de Covid-19 no país. Há mais de 10 dias nenhuma morte foi registrada

A Comissão de Saúde da China informou ontem ter detectado mais três contágios, um número que mantém a tendência de novos casos em níveis mínimos. No domingo, as autoridades tinham diagnosticado dois casos e no sábado apenas um.

No total o número de infetados “ativos” na China é de 481, incluindo 33 em estado grave.

A comissão não contabilizou qualquer morte, o que mantém o número total de óbitos, desde o início da epidemia no final de 2019, em 4.633, entre os 82.880 infetados oficialmente diagnosticados na China e as 77.766 pessoas que se curaram e tiveram alta hospitalar.

Em relação aos infetados assintomáticos, a China registou 13 novos casos, o que eleva para 962 pessoas sem sintomas e sob observação médica.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias France-Presse, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 245 mil mortos e infetou mais de 3,4 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

 Califórnia vai começar a flexibilizar medidas de confinamento

A Califórnia, foi o primeiro estado dos Estados Unidos a estabelecer o confinamento para conter o novo coronavírus e começará a relaxar algumas das restrições a partir de sexta-feira,  foi o que anunciou o governador Gavin Newsom. As autoridades californianas especificarão um dia antes as condições sob as quais se dará a flexibilização do isolamento. Newsom disse que os detalhes específicos do plano serão divulgados na quinta-feira, mas as empresas de varejo, incluindo lojas de roupas, livrarias, lojas de artigos esportivos e floristas, podem abrir já no fim de semana.

“Vamos permitir que o varejo comece a operar em todo o espectro. Este é um sinal muito positivo e aconteceu apenas por um motivo: os dados dizem que isso pode acontecer”, afirma.

Para fazer com que os clientes se sintam seguros o suficiente para retornar aos negócios, Newsom disse que os empresários precisam continuar impondo medidas de distanciamento social.

Fonte: O Imparcial

Comentários